Processadores CISC X RISC: qual a diferenA�a entre essas duas arquiteturas?

LB2 > Processador  > Processadores CISC X RISC: qual a diferenA�a entre essas duas arquiteturas?

Processadores CISC X RISC: qual a diferenA�a entre essas duas arquiteturas?

Capacidade e modo de processamento. Ao final deste post, vocA? vai concluir que essas sA?o as principais diferenA�as entre as arquitetura CISC e RISC. Mas para chegar lA?, vamos comeA�ar do inA�cio.

 

 

O que o processador faz?

Considerado o cA�rebro de um computador, o processador a�� ou Unidade Central de Processamento (CPU) a�� A� um circuito eletrA?nico responsA?vel por executar uma sA�rie de instruA�A�es dadas pela mA?quina.

 

Essas instruA�A�es sA?o prA�-definidas e armazenadas na memA?ria principal do computador e chegam ao processador em linguagem assembly, que A� o padrA?o reconhecido e compreendido por ele.

 

O processador pode receber diferentes tipos de instruA�A?o:

  • OperaA�A�es aritmA�ticas (adiA�A?o, subtraA�A?o, multiplicaA�A?o e divisA?o);
  • Acesso A� memA?ria para, por exemplo, mover dados de um local para outro;
  • OperaA�A�es lA?gicas;
  • Controle, etc…

 

A� aqui que as diferenA�as entre RISC e CISC comeA�am a surgir. CISC A� o acrA?nimo de Complex Instruction Set Computer, ou seja, executa instruA�A�es complexas. E qual A� a complexidade por trA?s dessas instruA�A�es?

  • Elas sA?o normalmente longas e repletas de operaA�A�es matemA?ticas distintas.
  • NA?o possuem um tamanho padrA?o, podendo assumir dimensA�es variA?veis de acordo com a quantidade de operaA�A�es que deverA?o ser executadas.
  • Exigem que o processador acesse a memA?ria para executar essa instruA�A?o.

 

Resultado: o tempo de processamento serA? maior afetando, portanto, a capacidade de processamento.

 

Para executar uma sA? instruA�A?o, um processador CISC pode exigir vA?rios ciclos de relA?gio. Um ciclo de relA?gio A� a frequA?ncia medida em Hertz que determina quantos impulsos serA?o realizados por segundo naquele computador.

 

Exemplo, uma mA?quina de 100Mhz irA? realizar 100 milhA�es de impulsos por segundo. Quanto maior esse nA?mero, menor serA? a quantidade de ciclos necessA?rios para executar uma instruA�A?o.

 

A famA�lia de processadores x86 da Intel (286, 386, 486) nascida na dA�cada de 1970 A� uma das mais reconhecidas usuA?rias da arquitetura CISC. E, durante anos, os computadores pessoais se restringiram a essa arquitetura atA� que a Apple mudou esse cenA?rio.

 

a�?Podemos dizer que 90% do mercado tA?m suas demandas atendidas por mA?quinas com processador CISC. SA?o usadas, normalmente, para rodar aplicaA�A�es simples que exigem pouco processamento como um sistema de caixa de uma loja, por exemploa�?, afirma o Diretor de OperaA�A�es da LB2, Victor Machado.

 

Devido A� capacidade de processamento limitada, sA?o logo substituA�das pela arquitetura RISC, quando a necessidade de processamento atinge padrA�es elevados.

 

 

Processador

 

 

RISC ( ReducedA�Instruction Set Computer)

Aqui o nome mais uma vez diz muito sobre a arquitetura do processador. Ao contrA?rio do CISC, o RISC executa instruA�A�es reduzidas.A� Ou seja, ele quebra a instruA�A?o em vA?rias menores e mais simples e todas assumem um tamanho padrA?o.

 

Cada uma dessas instruA�A�es tA?m as caracterA�sticas necessA?rias para que possa ser executada em apenas um ciclo de relA?gio. No exemplo que demos antes, a cada 100 milhA�es de impulsos, uma instruA�A?o seria concluA�da. No caso do CISC, essa afirmaA�A?o nA?o seria verdadeira jA? que uma instruA�A?o poderia exigir 10, 20 ou vA?rios outros ciclos para ser finalizada.

 

a�?Em nA�vel enterprise, em que o processamento dos dados A� muito alto, mA?quinas com arquitetura RISC como a Power da IBM e Sparc da Oracle sA?o as mais indicadas. E aqui nA?o estamos nos referindo necessariamente ao tamanho da empresa. OrganizaA�A�es de pequeno e mA�dio porte podem ter operaA�A�es que exijam capacidade de processamento muito alto e, por isso, recorrem ao RISCa�?, detalha Victor.

 

O RISC tambA�m A� amplamente utilizado em dispositivos mA?veis como celulares e tablets, os prA?prios notebooks e vA�deo-games, pois sA?o processadores menores, mais baratos e que tendem a consumir menos energia. Sem contar que atende A� forte demanda por uma velocidade de processamento elevada nestes casos.

 

 

A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A�CISC A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� A� RISC
A�InstruA�A�es completas que exigem vA?rios ciclos

de relA?gio para serem executadas

A�InstruA�A�es simples executadas
em um ciclo de relA?gio
A�InstruA�A�es com formatos variA?veis A�InstruA�A�es com formatos fixos

 

 

Apesar de parecer menos vantajosa frente A� arquitetura RISC, a CISC possui um conjunto maior de instruA�A�es que podem ser processados, enquanto no RISC, o volume de instruA�A�es alA�m de mais limitado, A� mais simples.

 

Existem sim aplicaA�A�es muito especA�ficas para a arquitetura CISC e, por isso, a tendA?ncia A� que ambas continuem coexistindo no mercado. Inclusive, hA? uma tendA?ncia de fusA?o dos dois tipos de processador, permitindo que as instruA�A�es mais complexas sejam direcionadas para RISC e as mais simples e rA?pidas para CISC.

 

Para saber exatamente qual se encaixa melhor nas necessidades do seu negA?cio, conte com a ajuda dos especialistas da LB2.

LB2
Não há Comentários

Poste um Comentário

Comentário
Name
Email
Website